sábado, 11 de julho de 2015


Se faço estas análises de um modo lasso e casual, não é senão porque assim retrato mais o que sou. De uma análise propriamente profunda não só sou incapaz, mas sou também artista de mais para a pensar em fazer; pensar em faze-la seria pensar em dar de mim a ideia de que sou uma criatura disciplinada e coerente, quando o que sou é um analisador disperso e subtilmente desconcentrado. A minha arte é ser eu. Eu sou muitos. Mas, com o ser muitos, sou muitos em fluidez e imprecisão. Muitos crêem coisas falsas ou incompletas de mim; e eu, falando com eles, faço tudo por deixa-los continuar nessa crença. Perante um que me julgue um mero crítico, eu só falo crítica. A princípio fazia isto espontaneamente. Depois decidi que isto era porque, no meu perpétuo anseio de não levantar atritos. Fernando Pessoa

Do resto ninguém precisava saber. Quando falo de resto refiro-me ao que deu errado, ficou para trás, decepcionou, machucou. Falo das portas fechadas na cara, das pisadas no peito, tiradas maldosas de ar, ilusões da vida para nos dar uma rasteira. Falo daquilo que ninguém quer, mas que a gente faz o de sempre: passa por cima - ou finge que passa. E saí pela rua com a cara deslavada de quem é feliz. Ninguém, ninguém mesmo precisa saber do nosso esforço para tentar ser qualquer coisa além do que não deu certo.

Camila Costa

Amor é quando ela pede minha blusa, faz de pijama, da aquele sorriso e fica só de calcinha. O menino Charlie

É como se e fosse um livro. Que ao invés de ser lido, era julgado pela capa.

Carta dos Derrotados

E aí eu resolvi te esquecer, adivinha? Até o padeiro tem seu nome, e eu não sabia. Sabe aquela blusa que você adora? O vizinho tem uma quase igual. Ah, lembra aquele video que a gente chorou de rir? Meu irmão adorou. E aquele filme? Que era só nosso, lembra? Minha mãe não para de assistir. E meu pai, que tá sempre mudando de time, adivinha? Não é que ele ta torcendo pro mesmo time que você? Eu também achei aquele colar, que você adorava. E arrumando meu quarto eu esbarrei naquele bilhete, que você deixou em baixo de minha porta duas semanas atrás. A única coisa que ainda não esbarrei foi em você, mas saiba que se isso acontecer, eu desmorono.

Tudo a seu favor, e até você contra mim. Oposições

Mas quer saber a verdade? Amar sem nenhum ato insano não é amar. É outra coisa qualquer, normal. E o amor não é normal – a falta dele sim.

Gabito Nunes

Porque você merece alguém que consiga ver nos seus olhos, as cores e as dores da sua alma. Porque é muito e merece um igual. Você não se nega a ajudar, a ser dois. E ainda, você sabe ser festa, ser luz… e se está apagada é temporário… só precisa de uma simples faísca. Porque você consegue ser amável, ser forte, ser parceria. Porque se você é… merece quem seja pra você, com você! Personalidarte